Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Que diferença "isso" faz em sua vida???


Eu batalho pelo que quero, sonho e realizo (para caralho), digo o que deve ser dito e outras vezes calo. Não tenho tudo que quero, mas faço muito para cnseguir. Algumas pessoas dizem que sou linda, outras invejam minha "magreza". Existem as que dizem que eu sou foda (no bom sentido da palavra), outras que se inspiram nas coisas que faço.
Posso ser tudo isso, muito mais, muito menos também. Mas o fato é: sendo admirada ou não, eu sonho e realizo tudo SEMPRE SOZINHA.
As mesmas pessoas que se inspiram, são as que não me fazem companhia. As mesmas que me acham sensacional, são as que não olham nos meus olhos. As mesmas que me chamam de "querida" são as mesmas que não dão atenção quando estou com algum problema.
Muitas vezes eu estou reclusa do mundo, mas se um amigo precisa, eu me faço presente.
Falar é fácil, mentir muito mais fácil ainda.
Descubro então, que é legal ter alguém para olhar e dizer: "Puta merda, essa pessoa faz coisas muito legais", é bom porque constatamos que elas existem sim! Pessoas que realizam o que não temos a coragem para sonhar sequer.
Tempo e distância são questões de prioridade. Nós escolhemos ter tempo para alguém ou não, e também decidimos se ela está longe ou perto.
Acho que vou morrer não conseguindo entender o tamanho da falsidade que um ser humano pode ter. Mesmo que eu viva mais 100 anos.
Podemos escolher muita coisa na vida.
Eu escolhi ser corajosa.
Escolhi ser sincera.
Escolhi realizar.
Escolhi provar que não existe o impossível.
Pena que nesse meu universo particular só exista eu mesma com minhas convicções.
Sozinha, sonhando.
Chega uma hora em que o saco enche, e é justamente nesse momento em que as pessoas surtam. Ou desistem de uma vez de sonhar.
Eu acho muito chato saber que a espécie humana é covarde, falsa, hipócrita e traidora.
Não sou melhor do que ninguém, mas sei honrar meus princípios e sentimentos.
Mudo de idéia, canso das coisas, sou chata, assim como qualquer pessoa, mas em primeiro lugar sou leal a mim mesma. E tento até onde acredito ser possível realizar.
Eu queria tanto ser igual a todo mundo. Adoraria viver na hipocrisia coletiva. Ao menos não sofreria tanto.
Não tente me fazer sentir especial com palavras apenas. Eu quero e posso muito mais.

sábado, 12 de junho de 2010

My Sacrifice


Hello my friend, we meet again
It's been awhile, where should we begin?
Feels like forever
Within my heart are memories
Of perfect love that you gave to me
Oh, I remember

When you are with me, I'm free
I'm careless, I believe
Above all the others we'll fly
This brings tears to my eyes
My sacrifice

We've seen our share of ups and downs
Oh how quickly life can turn around
In an instant
It feels so good to reunite
Within yourself and within your mind
Let's find peace there

When you are with me, I'm free
I'm careless, I believe
Above all the others we'll fly
This brings tears to my eyes
My sacrifice

I just want to say hello again

(Creed)

quinta-feira, 10 de junho de 2010

12 de junho - Feliz Dia dos Namorados!


Há quem diga que é só mais uma data comercial, que o capitalismo criou, mas o Dia dos Namorados é sim um dia muito especial. É o dia para celebrar a companhia do ser amado, para beijar de uma maneira mais carinhosa, para abraçar mais apertado. E como toda data especial, ela pode ser bem triste para quem não tem o ser amado por perto.
É só um dia, mas é um dia inteiro. Vinte e quatro horas para celebrar.
No próximo sábado, dia 12, esteja com seu amor por inteiro, esteja onde estiver.

Cinco coisas

Quero apenas cinco coisas..
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser… sem que me olhes.
Abro mão da primavera para que continues me olhando.

(Pablo Neruda)

sábado, 5 de junho de 2010

O jardim


Sábado a noite, muito frio, ouvindo Steve Vai e esperando que tudo tome um rumo certo. Um caminho verdadeiro, com pessoas reais. Mesmo sentindo que minha vida tem uma ordem diferente. Espero. Más notícias chegam, outras se calam.
O inverno é assim, quase vazio. Sorte que quem está no verão, vivendo dias calorosos, às vezes sufocantes. Plantei minhas sementes de Cempazutchil hoje para que me tragam em alguns meses "El día de los muertos", ao menos uma lembrança dele. Regando aos poucos a semente que brotará. A flor que vem. A flor que vai.
Visitar o sol como a pouco visitei. As folhas hoje caem aqui. O inverno da erva daninha é muitas vezes o verão do jardim das rosas. Tudo tem seu exato lugar na terra, sobrevive o que tiver melhores condições de vida, o que for regado com amor. É por isso que a erva daninha tem vida curta, porque nunca é querida. Algumas pessoas ficam com pena de arrancá-la de uma vez da terra, mas querem saber de um segredo? O melhor meio de lutar contra as ervas daninhas é privá-las de luz solar e de espaço.
Nada como um inverno sem sol...
Eu nunca entendi o porquê de algumas espécies serem amadas e outras odiadas. A vida não deveria ser de igual importância? Ah! Talvez seja o direito adquirido do espaço de quem antes chegou. Olhando desse ponto de vista, tudo parece ter um pouco mais de sentido.
Que cada um cultive seu próprio jardim, florido ou não, mas só seu.

quarta-feira, 2 de junho de 2010



(Imagem: Cão ao luar, 1972 Rufino Tamayo (México 1899-1991)-Litografia: The Mexican Master Suites)

Ainda existem pessoas que acreditam em palavras repetidas à exaustão, em palavras que refletem o que a imaginação não proibe, que sempre são engolidas pela realidade da vida real.
Piores são os que também acreditam na perfeição do futuro, enquanto constróem palácios totalmente diferentes do projeto falado, esses sim vivem em um mundo à parte do que permite a compreensão humana.
Lamentavelmente, ainda existem os que são fiéis aos seus sentimentos e ambições. São invejados por muitos, taxados de loucos por outros que não têm a mesma coragem. E passam seus dias esperando o tempo de alegria voltar, plantam sementes que vão colher (sozinhos) no futuro. No mesmo futuro que planejaram com os arquitetos da fala.
Eles sofrem porque sabem que se manterão determinados e leais ao que acreditam cegamente, e também por saberem que as outras pessoas não pensam na distância imensa entre o hoje e o futuro próximo.
Sempre sozinhos com suas crenças, realizando seus sonhos e tentando acreditar que tudo é verdade.