Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

segunda-feira, 27 de junho de 2011

Quero desenhar, escrever e ir ao México.

É impressionante o que acaba de acontecer.
Decidi que serei ilustradora. Claro que não foi hoje, penso nisso há pelo menos 2 anos, o que eu acho muito tempo, uma vez que só este ano comecei um curso de desenho.
Para quem não sabe, eu desenhava desde muito pequena, e cheguei a ganhar alguns concursos de desenho em uma empresa em que trabalhava meu pai. Isso com uns 4 ou 5 anos.
Décadas se passaram, estudei outras coisas, quis "matar" a arte de dentro de mim, mas é claro que a essência de uma pessoa não muda.
Acho um pouco tarde começar a levar a sério algo tão importante aos 32 anos de idade, mas não posso chegar aos 40 fingindo que quero fazer outra coisa na minha vida.
Quero desenhar, escrever e ir ao México. (eu já disse essa frase antes...rsrsrs)
Estou pesquisando cursos, aulas, professores, amigos, para aprender a ilustrar e desenhar melhor (tenho que aprender tudo!) e buscando uma mesa digitalizadora (ou tablet) na internet encontrei vários vídeos com o título "Aprende a dibujar". Cliquei para assistir e percebi que o sotaque da pessoa que falava (e explicava muito bem e sem medo de ficar sem seu conhecimento por disponibilizar suas experiências na net)era mexicano.
Viva México!!!
Agora eu tenho um professor mexicano! Isso é genial!
Decididamente, "en México encuentro la vida"

terça-feira, 21 de junho de 2011

Qué pasa?

Às vezes parece que tudo está travado, que algo impede que coisas simples aconteçam, por mais que eu tente e acredite.
Tenho que arrumar uma maneira de mudar isso.

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Novidade!!!

Meu amigo Rafael Sunny acaba de me dar um presente!
UMA COLUNA SEMANAL NO SEU BLOG!

http://sunnyboy8.webnode.com.br/


É isso mesmo! Todas as quartas feiras serão publicadas novos textos.
O texto de estréia foi publicado ontem (15/06/2011), se chama "Uma vida não deveria ser contada em anos e sim em amor".
Entre no site e confira!
E lembrando que sexta feira estréia a coluna semanal de Sunny!
;)

terça-feira, 14 de junho de 2011

Participação no 2º Premio Clube de Autores de Literatura Contemporânea


Conforme divulgado por email e redes sociais, participei do 2º Premio de Literatura Contemporânea, promovido pelo site Clube de Autores, com o livro "Siga o seu coração: busque Chavela Vargas!".

Foram 622 obras inscritas e 5.147 votos confirmados, nesta primeira fase do Premio, que através de voto popular selecionou os 10 mais votados.

Meu livro ficou na 27ª posição!É uma grande alegria ter ficado entre os trinta mais votados dentre as 622 obras participantes!

Muito obrigada a todos que votaram!
:) Valeu!!!!!!!

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Hoje seria aniversário do grande poeta Fernando Pessoa


Aqui, algumas de suas lindas frases e poesias.


"Escrever é esquecer. A literatura é a maneira mais agradável de ignorar a vida. A música embala, as artes visuais animam, as artes vivas (como a dança e a arte de representar) entretêm. A primeira, porém, afasta-se da vida por fazer dela um sono; as segundas, contudo, não se afastam da vida - umas porque usam de fórmulas visíveis e portanto vitais, outras porque vivem da mesma vida humana. Não é o caso da literatura. Essa simula a vida. Um romance é uma história do que nunca foi e um drama é um romance dado sem narrativa. Um poema é a expressão de ideias ou de sentimentos em linguagem que ninguém emprega, pois que ninguém fala em verso."

E uma que é a minha cara (talvez a sua, e a dele, a dos outros ali...)

"Posso ter defeitos, viver ansioso
e ficar irritado algumas vezes mas
não esqueço de que minha vida é a
maior empresa do mundo, e posso
evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale
a pena viver apesar de todos os
desafios, incompreensões e períodos
de crise.

Ser feliz é deixar de ser vítima dos
problemas e se tornar um autor
da própria história. É atravessar
desertos fora de si, mas ser capaz de
encontrar um oásis no recôndito da
sua alma.

É agradecer a Deus a cada manhã
pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios
sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma
crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir
um castelo…"