Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

Reviva México. Viva México!



País lindo, governo podre
podridão no poder, extorquindo e comprando votos por 500 pesos
Peso do crime, disfarçado de político honesto e jovem
Jovem marginal com passado dúvidoso e presente ilegal.
Ilegal é a paz do povo, que não pode sorrir com tanto crime organizado pelo governo
Governos corrupto que escandaliza diariamente roubando tudo o que vê.
Vejo a ditadura de Gadafi na figura jovem de Pieña Nieto comprador de votos
Votos manipulados grosseiramente, recontados pela ignorância pobre
Pobre México, gigante adormecido, ou águia agonizante?

Futuro incerto, gerações condenadas à escravidão eterna
eternizando a fraqueza das pessoas de bem
bem como, exterminando  a grandiosidade cultural
Cultura para quê, se o que rege o mundo é o dinheiro?
Dinheiro não compra paz, nem futuro, nem saúde.
Saúde mexicanos!
Brindem a força conjunta, façam algo diferente para que isso acabe
Acabem com o desânimo do comodismo, recontem os votos e estejam nas ruas
O México é do povo, e não do povo que toma o poder.
Viva México!

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Mim



Parti do Brasil, cria vazia com título de imperatriz
Escolhida no maldito potencial felino
Ora vadia atriz, ora negativa filha.

Poderia partir sorrindo, permitindo a vida sim
Vi na língua sentido e no ouvido equilíbrio redigido
Cretina lista discursiva da teoria perdida da brisa.

Poderia partir do Brasil feliz e gentil
Pra um país sem rinite ou gosto de anis
No íntimo de um primaveril domingo de Frida.

Poderia e parti do Brasil descobrindo a vida
Quis o sim à míngua na sílaba perdida
E vi o exercício festivo de Thais.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Agora



É impressionante como tudo acontece no tempo certo, e esse tempo raramente é o nosso tempo. Não o que queremos, mas quando estamos preparados. E é justamente isso, essa espera para colher os frutos que nos faz avançar cada vez mais.
Seguir sempre em frente e ter consciência de que a recompensa virá. Recompensa não, resultado.
Todos merecem o melhor. Difícil é ter foco e paciência para esperar, mas é justamente assim que aprendemos o que é realmente a vida. Pode parecer papo de vó, mas é a pura verdade.
O importante é plantar bons frutos e nunca esquecer de que a época certa para começar é agora.
Mudar a estratégia hoje para receber os benefícios amanhã.
Assim que é.
:)

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

Sol


Desejei tuas respostas infinitamente
Dia após dia elas se minimizaram até sumirem de vez
Tentei ouvir teu silêncio, mas, nada me dizia.

Nada para mim. Nenhum plano, nenhum querer
Só a distância elevada ao cubo.

Sem tempo, sem amor
Sem atenção, sem sementes vivas.

Saudade do sol da primavera,
Da voz pausada
Do seu riso ligeiramente torto

Tudo são só palavras agora, mudas e invisíveis
Que só queriam voltar à vida para dizer
Que sua mudez ainda é o que deixei
Naquela manhã fria de novembro.

Thais Petranski

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Terra



Museu no quarto das cores perdidas
Entre rostos congelados e sorridentes
Quadros pendurados, pintados, empoeirados.

Cores encontradas no fundo da lembrança
Derramadas entre o pano e o concreto
Pedaço de rocha colorido se mantém:
Enumerado, imóvel e vermelho.

Cópias quase perfeitas da terra distante
Que se espalhou pelo corpo árido
Semente rara que quer voar.

E voando acaba perdida na casa amarela ou azul
Longe daqui, de lá. Em lugar nenhum.
Acaba presa na terra de sempre
Desejando a liberdade de trocar de cor.

Thais Petranski

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Água



Primeiro poema do curso. O primeiro de vários. Espero que gostem, mesmo estando um pouco discursivo e racional. :)

Ela traz a vida em seu deslizar
Mantendo a natureza sempre ao seu redor
Presente em tudo e todos
Do início ao fim.

 Em excesso ou poluída, mata.
O mesmo ocorre quando escassa
Tempestade, maré alta, avalanche,
Vapor, deserto, sede.

Belas são suas formas enquanto praias
Intrigantes quando estalactites
Encantadora quando cai em flocos
E ameaçadoras enquanto “icebergs”

Onipresente, é a deusa da vida.
Água que tudo leva, lava e traz.

Aqui na terra da garoa
Falta-me seu estado “água de frutas”
A doce maneira mexicana de refrescas a vida
Com muito gelo e pedaços de frutas
Essa água sim tem cheiro, cor e forma de vida feliz.

Delícia do verão



Depois de um mês de chuva, garoa, céu nublado e afins, eis que surge o tempo do verdadeiro verão! Céu azulzinho, calor infernal, suor escorrendo o dia todo, uma nojeira, mas...é verão!

Dias escaldantes sem coragem de colocar o pé na rua. Roupa social? É uniforme de guerra, mas são só mais 2 meses desta linda estação. Aproveite as lindas noites sem vento para abrir bem as janelas em busca de uma mísera brisa que seja para sentir a alegria de respirar. Cheiro de dama da noite entorpecendo todos que cruzam o jardim, nutrindo a alma de vida perfumada.  Tome vários banhos ao dia e vá dormir pensando na praia do fim de semana, na piscina com a galera e quando estiver pegando no sono...zzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzzieeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeemmmmmmmmmmmmm.

A alegria vira fúria quando toda a delícia do calor nos presenteia com pernilongos. Ahhh, os pernilongos. Sempre fazendo barulho nos nossos ouvidos para que não fiquem sós numa noite tão agradável. É bobagem acender a luz, uma vez que são invisíveis. Ao contrário dos vaga-lumes que se fazem bem visíveis quando voam, os pernilongos têm o poder secreto da invisibilidade. Quando vamos em sua direção ele some misteriosamente, para aparecer somente quando nosso sono chegar. Adoro insetos, os bonitinhos como joaninhas, os feios como o bicho graveto e as mosquinhas de banheiro, mas não me venha com pernilongos! Eles são demais para mim! Vivem aos meus pés, deixando suas imensas picadas vermelhas tatuadas. Não picam braços, nem costas, nem nada além de meus pés. Ainda não entendi essa preferência, mas não faz diferença. Detesto pernilongos. Não sei que tanta fome têm esses mini vampiros que sempre querem mais sangue. O pior é que acabamos com um e aparece uns dez no lugar. Talvez seja a família inteira com sede de vingança, porque estes sim, picam com ódio, fazem mais barulho e mais estrago. Os sprays ajudam mas ficar 24 horas respirando SBP é inviável. Contra eles só mesmo um predador natural. Sapo gosta de mosca, será que come pernilongo também? Farei uma criação de sapinhos e se eles derem conta desses meus inimigos... eu disse criação de sapos? Aqueles bichinhos gosmentos que fazem barulho durante a noite??? Pensando bem, melhor fazer um estoque de repelente mesmo.

Texto de Thais Petranski e ilustração de Maurício Rett

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

O amor é outra coisa...(para chorar de rir)


"- O amor não é estar disposto a esperar por alguém, mesmo sem saber ao certo quanto tempo vai demorar. Isso é fila do SUS. Amor é outra coisa.
- O amor não é ferida que dói e não se sente. O nome disso é insensibilidade congênita. Amor é outra coisa.
- O amor não é fogo que arde sem se ver. O nome disso é combustão de metanol. O amor é outra coisa.
- O amor não te liberta quando já não há mais outra saída. O nome disso é Gilmar Mendes. O amor é outra coisa.
- O amor não faz você ouvir a voz do coração. O nome disso é ecocardiograma. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa amarrado a uma pessoa. O nome disso é macumba. O amor é outra coisa.
- O amor não deixa suas pernas bambas, nem sua mão úmida e fria. O nome disso é uísque "on-the-rocks". O amor é outra coisa.
- O amor não libera a criança que existe dentro de você. O nome disso é cesariana. O amor é outra coisa.
- O amor não te leva a lugares inesperados. O nome disso é sequestro relâmpago. O amor é outra coisa.
- O amor não abre a cabeça das pessoas. O nome disso é traumatismo craniano. O amor é outra coisa.
- O amor não faz seu mundo girar sem parar. O nome disso é labirintite. O amor é outra coisa.
- O amor não faz você se sentir sempre acompanhado. O nome disso é encosto. O amor é outra coisa.
- O amor não te leva por caminhos tortuosos e te assusta de vez em quando. O nome disso é trem fantasma. O amor é outra coisa.
- O amor não é algo que faz o seu coração continuar batendo. O nome disso é marca-passo. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz arder em chamas. O nome disso é combustão instantânea. Amor é outra coisa.
- O amor não te deixa molinho e manhoso. O nome disso é Rivotril. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa temporariamente cego. O nome disso é spray de pimenta. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa sem chão, o nome disse é cratera. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa quente e te leva pra cama. O nome disso é dengue. O amor é outra coisa.
- O amor não retribui suas declarações. O nome disso é restituição de imposto de renda. O amor é outra coisa.
- O amor não leva teu café da manhã na cama e ainda dá na boquinha. O nome disso é enfermeira. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz olhar pro céu e ver tudo colorido. O nome disso é queima de fogos de artifício. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ficar simpático e amoroso de repente. O nome disso é Natal. O amor é outra coisa.
- O amor não te liberta. O nome disso é Alvará de Soltura. Amor é outra coisa.
- O amor não te deixa à mercê da vontade alheia. O nome disso é Boa Noite Cinderela. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ver o mundo cor-de-rosa. O nome disso é baitolice. O amor é outra coisa.
- O amor não é aquela coisa brega, mas que te remexe todo. O nome disso é Banda Calypso. O amor é outra coisa.
- O amor não te dá a chance de mudar o que está diante de você. O nome disso é controle remoto. O amor é outra coisa.
- O amor não tira suas defesas. O nome disso é HIV. O amor é outra coisa.
- O amor não te pega desprevenido e te impulsiona para frente. O nome disso é topada. O amor é outra coisa.
- O amor não faz o coração bater mais rápido. O nome disso é arritmia. O amor é outra coisa.
- O amor não faz você dar suspiros. O nome disso é dia de Cosme e Damião. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz ver tudo com outros olhos. O nome disso é transplante. O amor é outra coisa.
- O amor não faz brotar uma nova pessoa dentro de você. O nome disso é gravidez. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa completamente feliz. O nome disso é Prozac. Amor é outra coisa.
- O amor não te deixa saltitante. O nome disso é Pogobol. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz acreditar em falsas promessas. O nome disso é campanha eleitoral. O amor é outra coisa.
- O amor não te faz esquecer de tudo. O nome disso é amnésia. Amor é outra coisa.
- O amor não te faz perder a articulação das palavras de repente. O nome disso é AVC. O amor é outra coisa.
- O amor nao te faz sentir borboletas no estomago, o nome disso é fome. O amor é outra coisa.
- O amor não te deixa completamente imóvel. O nome disso é trânsito de São Paulo. O amor é outra coisa."