Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

terça-feira, 6 de julho de 2010

Frida Kahlo


Hoje seria aniversário de uma das grandes mulheres que passaram pela terra e que deixaram o mundo mais intenso e colorido graças à sua arte. Frida Kahlo, a pintora mexicana que continua inspirando pessoas em todas as partes do mundo.
A conheci depois de ver o documentário sobre a vida de Chavela Vargas: a voz que me levou ao México.
Chavela não esconde que Frida foi seu grande amor. E é impossível não pensar em amor quando penso em Frida. Seu amor à Diego, à Coyoacán, à Casa Azul, às artes, à vida.
A mulher que com todas as dificuldades físicas que a vida lhe impôs, conseguiu transformar a dor em arte, esplendidamente.
Viva Frida Kahlo!


(faça um tour virtual pela magnífica Casa Azul http://tinyurl.com/2966z6l )

Nenhum comentário:

Postar um comentário