Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

TPM e a quase morte - Utilidade Pública!

Homens, agradeçam diariamente por terem nascido homens e não sentirem na pele (nas células, na mente...) os transtornos da TPM.
Primeiramente, ela não é uma irritação apenas, por favor, entendam isso de uma vez por todas. Ela é uma explosão de ódio repentino, impensado e I-N-C-O-N-T-R-O-L-Á-V-E-L, e isso é causado pela variação das taxas de hormônio.
Pode vir das seguintes maneiras:

  1.  explosiva: quando a pobre criatura feminina fica sem papas na língua e desanda a falar tudo o que acha em poucos minutos, mesmo sabendo das consequências;
  2. dolorosa: quando há dor desde o bulbo capilar até a última pelinha da unha do pé. Sim, é uma dor generalizada, onde não há começo nem fim, nem nexo. E dor causa irritação e aí voltamos pro item 1;
  3. depressão extrema: quando o corpo, além de tudo já citado, fica inchado e a pessoa se acha gorda, e como já está com dor, passa a ver tudo de modo desproporcional, então uma barriguinha inchada vira uma pança monstruosa e no ápice do surto a pobre criatura começa a chorar copiosamente e prefere morrer a continuar pançuda e dolorida. Crises de choro são comuns nesse estágio e podem ser desencadeadas por um comercial de margarina, um vídeo fofo compartilhado no face ou qualquer outra notícia que afete intimamente a sofredora;
  4. crise de ódio: sim, crise de ódio. Não é uma raivinha à toa, é ódio mesmo. Aquela vontade de exterminar o motivo da sua irritação, de acabar com a raça do provocador mesmo que ele seja uma cebola. É, cebola, e daí? Eu explico. Estava com fome e decidi fazer uma boquinha. Abri a geladeira, peguei requeijão e o pimentão refogado pra colocar no pão (integral, com fibras, pra pança diminuir...). Passei calmamente o requeijão no pão e quando abri o pote para pegar os pimentões notei uma textura meio de molusco entre eles. Eram as malditas cebolas disfarçadas. Logo elas, as tão odiosas cebolas que fazem feder o mundo, que fazem pessoas vomitar com o bafo alheio. Fedorentas cebolas. E eu desejei arrancar uma por uma do pote, e quis pegá-las na gaveta e chutá-las muito. Quis atirá-las com toda força na parede e pisar com gosto nelas. As cebolas que estão por toda parte, me perseguindo, querendo grudar na minha garganta....AAAAAAAAAAAAAAAAA
Conseguiram entender a dimensão de uma TPM???
É algo incontrolável comandado pelos hormônios que pode levar à extinção das cebolas, ou de qualquer outro agente causador de ódio.
Por isso, lembrem-se de nunca irritar uma mulher na TPM, as consequências poderão ser desastrosas.

domingo, 16 de novembro de 2014

É preciso coragem para concretizar os sonhos

Ainda que esteja frustrado
Porque as coisas não correm como esperado,
Não se desencoraje.
Não desista!
A coragem de se esforçar mais um pouco,
E continuar se esforçando,
Abre o caminho da vitória.

Daisaku Ikeda



segunda-feira, 27 de outubro de 2014

Viva a criminalidade! Viva Brasil!

Os que pregam o coitadismo já me enxeram o saco. Já exclui uns chatos que dizem ter votado pelos oprimidos. Vota no PT quem realmente acha que eles fazem um bom governo e não olham a robalheira desgraçada que fizeram. Memória curta, do povo que só enxerga o que quer. Quando formos assaltados pelas vitimas da "sociedade burguesa-classe-média-paulistana" temos que agradecer pelo fato do ladrão fazer isso na nossa cara, porque conseguiu ser mais honesto que esse lindo partido vermelho que governa este país. Concordo que muita gente não tem perspectiva alguma neste país. Sem emprego, sem nada e era/é para eles sobreviverem que existem os benefícios do governo. Quem rachou este país em pobre e classe media foram eles (PT) numa tentativa acertada de fazer com que o próprio povo se odeie. Não concordo com o PT pela robalheira miserável e comprovada que fizeram e fazem neste país. Eram promissores quando eram a oposição, mas como é preciso dar poder a alguém para conhecê-lo de verdade, foi comprovado que o discurso em prol dos pobres se revelou uma mina de ouro para essa quadrilha. O povo brasileiro realmente merece cada centavo roubado, porque é conivente. Hoje, nós somos os incomodados e digo sem pestanejar: não há esperança para este país porque o povo elegeu quem o representa, ou seja, estamos cercados de ladrões. Ou entramos na onda do crime, ou convivemos calados com esta zona, ou sumimos daqui. É bem triste saber que um país deste tamanho e com tanto potencial tem uma compaixão tão grande por ladrões. Posso estar absurdamente errada, mas é isso que vejo em todos os meios de comunicação, não só na globo. Ah...e não leio a Veja. Nenhum partido tem a ficha completamente limpa, infelizmente, mas reeleger um partido após tantos escândalos bilionários, não é pensar nos pobres e oprimidos, me desculpem.

terça-feira, 7 de outubro de 2014

Cores e luzes - Yayoi kusama e sua obsessão infinita






































Lugares

É um corredor vazio.
Um olhar por trás dos óculos.
Uma camisa amarela.
Uma mesa trocada.

Um chopp na esquina.
Um suco de laranja e dois de tamarindo.
Pratos de comida indiana.

Um vestido verde.
Sapatos vermelhos.
Carro novo.

Uma tarde no Memorial da América Latina.
Uma revista Vogue da Frida.
Perfumes novos da internet.

Cabelo cortado.
Cabelo cacheado.
Cabeça raspada.

Uma namoradeira gigante.
Um creme de anis.
Uma dieta saudável.

Comida mexicana.
Pé quebrado.
Filhotes de cão.

A saudade está em todo lugar.

quarta-feira, 1 de outubro de 2014

Mundo ao contrário

Mentira de um vira verdade universal,
homofobia agora é "preservação da humanidade",
educação evapora com um clique,
bizarrice é o novo não quero,
menosprezo substitui o diálogo
arrogância vira poder na mente do frustado sexual,
"eu sou Dr. X e não farei isso" é a justificativa do ego inflado para seus caprichos,
(lembrei do Mario Sergio Cortela com o seu "Você sabe com quem está falando?")
puxar saco é garantia de plano de carreira,
mostrar eficiência não é mais que obrigação, te pago pra isso, mesmo que muito mal

Manda quem pode, obedece quem tem juízo (ou está tão acomodado que nem tem força pra mudar?)
O errado continua sendo errado, mesmo que todos façam.
A mentira sempre será a pior maneira de resolver um problema.
Todos possuem um estado de vida muito elevado, mesmo que não demonstre nunca.
Ela não é secretária, é só uma "assistentezinha" para justifica a economia empresarial.

É muito desafio mesmo e haja fé.
PQP... haja fé na humanidade.



terça-feira, 30 de setembro de 2014

Tudo se define a partir da determinação do líder :)

“Se um general no comando for medroso, seus soldados também serão covardes. Se um arco for fraco, a corda ficará frouxa. Se o vento é brando, as ondas não são altas. Tudo isso está de acordo com os princípios da natureza.” (END, v. V, p. 191)

EXPLANAÇÃO DO MESTRE: “O avanço do kosen-rufu depende da convicção (ichinen) do líder: se possui ou não a resoluta decisão de vencer custe o que custar; se é ou não negligente, esperando que tudo se resolva por si só. Uma sutil mudança na determinação provoca grandiosa diferença nos resultados obtidos. A coragem faz nascer a decisão e a ação. Oh, você, peço para que lidere com toda a maestria o movimento pelo kosen-rufu fazendo ecoar o daimoku do rugido do leão. A vitória em tudo se inicia a partir do coração do general.”
Dr. Daisaku Ikeda
Publicada no Seikyo Shimbun dia 2 de setembro de 2014.

domingo, 3 de agosto de 2014

Lição do final de semana: o valor da honra e educação



Neste final de semana fui ao casamento mais luxuoso da minha vida.
Cerimônia na Igreja do Carmo, antiga Sé do Rio de Janeiro e a festa no Hotel Copacabana Palace. Sim, um casamento para poucos.
Decoração perfeita, comida, bebida, hospedagem, companhias perfeitas e pessoas de uma classe social bem elevada.
Como convidada, pude aprender algo muito importante, e melhor ainda, pude ver e ouvir exemplos de sucesso na vida. Aprendi que pessoas ricas não precisam ser arrogantes e humilhar ninguém para serem o que são.

O pai do noivo,  não nasceu rico, conquistou com honra e respeito ao próximo seu lugar na sociedade, e ontem, com toda a humildade e sinceridade do mundo, agradeceu pessoalmente os convidados pela presença e importância delas na vida do filho que acabava de casar.
Um retrato de como os seres humanos devem tratar os outros: com dignidade, sejam eles ricos ou não.
Agradecer não o fez pobre, nem medíocre, muito pelo contrário, só comprovou possuir uma grande luz interior, capaz de inspirar quem o cercava, naquele exato momento.
O dinheiro serve para melhorar quem quer ser melhor como gente e não para menosprezar ninguém, como tantos exemplos podres que vemos por aí.
O dinheiro compra tudo que o bom gosto possa querer, mas não compra a educação de quem não a quer ter.
Estou imensamente grata pela oportunidade de haver conhecido pessoas tão iluminadas, que através de sua condição social puderam proporcionar o casamento perfeito a todos os presentes, e por comprovarem que humanos de verdade não compram amigos e nem amores.
Decididamente, algumas pessoas merecem tudo de bom que a vida lhes dá.

sábado, 21 de junho de 2014

segunda-feira, 3 de março de 2014

E agora?

Decididamente, escrevo quando não estou 100%.
Acho que é assim com muitos poetas e compositores também, claro que não sou nem uma coisa nem outra, mas entendo que assim deva ser.
O tempo afastada do blog significa então que tudo estava bem! Isso é bom.
Em pleno carnaval e eu filosofando, puta merda. É, eu poderia estar roubando, pulando o carnaval ou sei lá mais o que, mas a mente vai longe.
Entre um pensamento e outro decidi recordar as coisas boas (entenda isso como em algum lugar do México). E lá fui eu. Mais precisamente a uma casa de vidro em Tepoztlán, onde vivia uma senhora muitissimo especial, em frente ao Chalchi.
Hoje foi dia de me curar ouvindo Chavela Vargas. Serie 30 exitos VOZ Y SENTIMIENTO.

 "De que sirve querer con todo el corazón?... me voy lejos de aqui, donde pueda olvidar... de que sirve querer si tu amor ya perdi y no encuentro la paz" - Besando la Cruz

Entre uma canção e outra fui cruzando ruas, olhando as paisagens e me vi na sala de vidro onde pude escutá-la perguntar sobre o passarinho que acabava de bater na janela: -Se mató?
Tudo parece estar melhor quando lembro. A prisão se abre e sou realmente livre.

"Que bonito es querer como quiero yo...no me digas que no sufriste, que no extrañaste todos mis besos..." - Llegando a ti

Acho que foi a única coisa boa que fiz na vida: estar no México. Onde fiz algo realmente importante e especial a alguém que não está mais aqui.
E agora Chavela, que faço da minha vida?




segunda-feira, 6 de janeiro de 2014

"Mesmo que eu fique sozinho"

"Você deve se levantar contra o mundo inteiro mesmo que esteja sozinho. Deve encará-lo mesmo que ele o olhe com ódio. Não tenha medo. Confie naquela pequena coisa que possui em seu coração". Mahatma Gandhi
"A pequena coisa que possui em seu coração" é a Torre do Tesouro, a força ilimitada dentro de você.

A decisão de se levantar sozinho depende da coragem e da confiança na própria força.