Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

sábado, 12 de maio de 2012

Mentes e de mentes


O que passa nas profundezas da cabeça de um ser humano é difícil desvendar, porém, as sombras desses pensamentos podem cruzar seu caminho. Uma ou mais vezes. Para cada desvio de "conduta" cerebral existe uma doença e um possível tratamento. Depressivos, bipolares, esquizofrênicos, psicopatas e tantas outras categorias de enfermidades mentais estão ao seu lado agora mesmo. Podem ter estado atrás de você na fila do mercado ontem mesmo, ou há poucos minutos em uma conversa telefônica. São encontrados mais facilmente bem a sua frente, do outro lado da tela do seu computador. Esse é o esconderijo perfeito para pessoas sem tratamento adequado e sem noção da realidade, que se escondem na rede para roubar, ameaçar e tentar enlouquecer seus novos contatos, o que pode gerar transtornos emocionais e até financeiros para tais elementos, ingênuos ou não.
Da mesma maneira que são feitos os check-ups anuais, a visita ao psiquiatra deveria ser obrigatória a todos também. Desde a infância, cada ser deveria ter acompanhamento psiquiátrico sim, isso diagnosticaria problemas graves que não são conhecidos antes do doente fazer algo grave. O medo do psiquiatra não se justifica, uma vez que ninguém sabe ao certo o é ser "normal". O fato é que toda e qualquer pessoa pode sofrer de um ou mais diversos problemas mentais, durante um período ou por toda vida. A causa nem sempre é genética. Acidentes e sofrimentos muito grandes podem fazer a mente se perder para sempre. Por isso, todos estão sujeitos a tais enfermidades.
Antes de chamar alguém de louco, ou maníaco, faça o seguinte teste: anote em um papel seus pensamentos repetitivos, assim como suas reações mais comuns. Anote também as frases que mais utiliza e o que mais te irrita no comportamento dos que estão ao seu redor. Quando terminar, pense em alguém que você não tolera e imagine essa pessoa com todas as características e falas que estão no papel que utilizou. Se achar que a tal pessoa é louca, então descobriu uma de suas missões aqui na terra, que é cuidar muito bem de si mesmo, do seu corpo e principalmente de sua mente.
Não sou médica, mas esse é um teste simples para que cada um possa se conscientizar ao menos um pouquinho. Loucos todos somos, porém, em grau e periculosidade diferentes. Se você tiver a sorte de identificar alguns sinais em si mesmo, não tenha medo, procure ajuda médica. Caso alguém próximo mostre alguns sinais, tente conversar, claro que não é fácil, porque nunca queremos admitir uma falha; e se alguém que não conheça tentar se aproximar demonstrando algum transtorno, use a sua mente e saia de perto. Não tente “consertar” o outro antes de fazê-lo por si.
E nunca se esqueça: nosso bem mais precioso é a mente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário