Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

domingo, 23 de setembro de 2012

O primeiro 49 dia



O budismo acredita que tudo no universo, tudo o que ocorre nele, é parte de um imenso tecido vivo de interconexões. A energia vibrante que chamamos VIDA e que flui por todo o universo não tem princípio nem fim. A vida é um processo contínuo e dinâmico de mudanças. A morte é só o início de uma outra vida. A dor da partida dos seres queridos é um dos sofrimentos inevitáveis da vida.
A impermanência da vida é um acontecimento do qual não podemos escapar. Uma coisa é saber a teoria, mas cada momento de nossa vida pode ser o último, e é muito mais difícil viver e agir baseados nesta crença.
Muitos de nós tendem a imaginar que sempre haverá outra oportunidades de nos encontrarmos e de falarmos com nossos amigos e parentes, de maneira que não importa se ficou algo a ser dito.
Do ponto de vista budista, os vínculos que unem as pessoas não são apenas desta existência. Como os que já se foram vivem dentro de nós de alguma maneira, nossa felicidade é compartilhada de forma natural com eles.
O mais importante para nós que estamos vivos agora, é viver com esperança e nos esforçarmos para sermos felizes, buscando nossa própria iluminação através do nosso esforço individual ( a chamada Revolução Humana).
É uma verdade que não podemos evitar: experimentar a tristeza de uma separação.
Hoje é primeiro dos 49 dias da transcendência de minha Lindíssima Chavela Vargas. Com isso, como cremos os budistas, ela está pronta para renascer. Sim, é difícil compreender, principalmente quando a sentimos tão perto de tudo. Sua energia está em todos os lados, hoje e sempre. Essa é a magia da vida.
Chavelita linda sempre te amarei.
:)

Nenhum comentário:

Postar um comentário