Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

segunda-feira, 3 de março de 2014

E agora?

Decididamente, escrevo quando não estou 100%.
Acho que é assim com muitos poetas e compositores também, claro que não sou nem uma coisa nem outra, mas entendo que assim deva ser.
O tempo afastada do blog significa então que tudo estava bem! Isso é bom.
Em pleno carnaval e eu filosofando, puta merda. É, eu poderia estar roubando, pulando o carnaval ou sei lá mais o que, mas a mente vai longe.
Entre um pensamento e outro decidi recordar as coisas boas (entenda isso como em algum lugar do México). E lá fui eu. Mais precisamente a uma casa de vidro em Tepoztlán, onde vivia uma senhora muitissimo especial, em frente ao Chalchi.
Hoje foi dia de me curar ouvindo Chavela Vargas. Serie 30 exitos VOZ Y SENTIMIENTO.

 "De que sirve querer con todo el corazón?... me voy lejos de aqui, donde pueda olvidar... de que sirve querer si tu amor ya perdi y no encuentro la paz" - Besando la Cruz

Entre uma canção e outra fui cruzando ruas, olhando as paisagens e me vi na sala de vidro onde pude escutá-la perguntar sobre o passarinho que acabava de bater na janela: -Se mató?
Tudo parece estar melhor quando lembro. A prisão se abre e sou realmente livre.

"Que bonito es querer como quiero yo...no me digas que no sufriste, que no extrañaste todos mis besos..." - Llegando a ti

Acho que foi a única coisa boa que fiz na vida: estar no México. Onde fiz algo realmente importante e especial a alguém que não está mais aqui.
E agora Chavela, que faço da minha vida?




Nenhum comentário:

Postar um comentário