Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

terça-feira, 27 de abril de 2010

Alma de artista


As pessoas falam muito em respeito, adoram conjugar o verbo respeitar, mas sem a primeira pessoa.
Tu respeitas
Ele respeita
Vós respeitais
Eles respeitam

Querem respeito sem respeitar...tudo é tão comum, não é mesmo?
Agora, como uma pessoa pode respeitar um artista, ou qualquer outro ser, que tenha comportamentos um pouco diferentes da maioria das pessoas?

Eu, Thais Petranski, para escrever, preciso de silêncio e inspiração. Para pintar, preciso de silêncio e concentração. Para desenhar, idem. Para dormir, para comer.
Eu amo o silêncio, única e exclusivamente porque posso ouvir claramente meus pensamentos e o que pede meu coração. Dessa maneira posso saber para onde posso caminhar.
Sair de um emprego que me fazia mal foi encarado como um ato rebelde até mesmo pela minha família. Mas devo tentar ser feliz, não é mesmo?
Sem incentivo, mas correndo atrás dos meus sonhos atuais. Isso é crime?
Quero escrever, desenhar e pintar, isso me faz feliz hoje, se ninguém pode concordar com isso que no mínimo respeite minha liberdade.

A alma de um artista é vista muitas vezes como algo "bem estranho", pessoas que vivem em um mundo exclusivo, sempre voltado para os insights inspiradores que têm. Por isso sempre fui muito calada quando criança. Por isso também é que preciso de momentos só meus.
As vezes uma música me inspira muito, mas tenho que executar a pintura , no caso, com a tv ligada, só para que eu não ouça mais barulho algum que possa me desconcentrar.
Acha estranho? É assim que minha mente funciona, quer você concorde ou não. E é assim que me encontro e encontro a minha paz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário