Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

domingo, 21 de agosto de 2016

Há 20 anos, em um dia como hoje


Em um dia como hoje, há 20 anos,  a estrela mais linda começou a brilhar no céu: minha Duquesa, meu primeiro amor.
Vinte anos de um dia que nunca poderei esquecer, daquele meu pior ano da vida, o único em que passei de branco o reveillon. Justamente o ano em que tive menos paz e que chorei litros de tristeza.
Aquele 1996 trágico, de tantas perdas, de canções inesquecíveis.
Duquesa era minha parceira felpuda, branca e preta, absurdamente boazinha e querida. O serzinho que encontramos na rua tão pequena e sofrida, que medicamos nesta mesma casa quando chegou.
A bebê que corria atrás das minhas pequenas pernas, que cabia em um carrinho de feira de plástico bem pequeno, e que ia à feira com a gente.
Lembro tanto dela, de tantos momentos. Ela simplesmente fará parte da minha vida pra sempre, aquela alma tão responsável por todos os outros seres que abrigamos em tantas ocasiões durante esses anos todos.
Duquesa, saiba que um dia eu estarei aí no mundo dos gatos para rever você, tenho certeza disso.
Saudade eternas.



"Eu faço tanta coisa
Pensando no momento de te ver
A minha casa sem você é triste
A espera arde sem me aquecer

Não diga que você não volta
Eu não vou conseguir dormir
À noite eu quero descansar
Sair à toa por aí

Me sinto só, me sinto só
Me sinto tão seu" (Skank- tão seu)

Nenhum comentário:

Postar um comentário