Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Balanço 2009

Último dia do ano, já fiz a limpeza que gosto de fazer pra começar o ano sem pendências caseiras, já estou desfrutando da companhia de um chileno (um cabernet chamado Todo de Piedra)e aindei avaliando o ano de 2009.
Sinceramente, foi um ano sensacional!
Comecei buscando minha paz e estou bem consciente da minha vida e do que quero.
Concluí minha pós em Gestão do Conhecimento, fui promovida e tive um sonho importantíssimo realizado.
Voltei ao México com a missão de entregar o livro que escrevi para Chavela Vargas, e entregar a peça em biscuit que fiz e uns presentinhos mais. Realizei! Ela sabe que eu existo e tudo que consegui através do amor que sinto por ela.
Conheci lugares especiais, pessoas interessantes e agora meu futuro começa a surgir em minha mente.
Tirei quem me fazia mal do meu caminho e agora posso caminhar mais tranquilamente.
Muito obrigada Deus, por não deixar eu desistir dos meus sonhos e por me fazer levantar todas as vezes que cai.
Se eu pudesse voltar um momento apenas deste ano, voltaria para o dia 13/11/2009, o dia que Chavela Vargas pediu para que eu lhe escrevesse.
Se eu pudesse ouvir novamente uma frase, seria: - Escribeme!
Obrigada 2009 pelas surpresas boas que me ofereceu e que eu soube muito bem vivê-las.
Que venha 2010!!!
Terminarei meu livro e só o céu será meu limite!

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

O Natal é uma farsa!!!

O Natal de hoje em dia está cada vez menos sem o significado original.
O mês do consumismo desmedido: das compulsões por comprar, por comer e por exageros diversos.
Presente pro pai, pra mãe, pra sogra, pra sobrinha da prima da sogra.
Tempo das árvores genealógicas se unirem mais do que nunca!
Poucos celebram de verdade o nascimento de Jesus, aí inventam mentiras.
Porque o primeiro contato das crianças com o Natal é conhecendo a mentira sustentada pela sociedade: a farsa chamada Papai Noel.
Que coisa nojenta! O Natal é uma farsa, desde sempre.
Desde que inventaram um velho safado com um saco cheio de presente para a mente das crianças.
Minha primeira grande decepção na vida foi descobrir a mentira do velhinho dos presentes.
Para que mentir assim? É desnecessário!
Agora, dá pra entender porque as pessoas continuam mentindo tão naturalmente quando crescem. Porque aprendem desde cedo!
Este ano não senti, nem vi espírito natalino algum.
Só vi o espírito descontrolado de consumir e de fingir que somos um pouco melhores do que conseguimos mostrar o ano inteiro.
A farsa é geral.
A mentira coletiva infecta até os que possuem o coração mais puro.
Sigo sendo a pessoa que sou todos os outros dias do ano.
A pessoa que odeia hipocrisia e mentira.
Hoje , amanhã e sempre.
Feliz Dia do Exagero!

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Vida e luto


Um pedido público a quem me conhece ou irá me conhecer:

Eu pago uma porcaria de convênio, justamente para não depender de hospital público. Já fui voluntária em um hospital e sei muito bem como as coisas não funcionam por lá.
Quem é que não sabe ainda, que precisar do serviço desses lugares, é já deixar assinado o atestado de óbito?

Pois, muita gente não sabe.

Se você tivesse o mínimo de condições financeiras, deixaria seu filho, durante uma semana, em um hospital de merda jogado à própria sorte?

Não tenho filho, mas posso responder: EU não deixaria.
O que é mais digno? Economizar com a saúde de uma pessoa que ainda está viva ou economizar no caixão?
Se alguém nessa porra de mundo tem a possibilidade de FAZER ALGO POR ALGUÉM, QUE FAÇA ENQUANTO A PESSOA ESTIVER VIVA!
Levar florzinha em uma tumba não eleva e nem tira o peso na consciência de ninguém.
Mas muita gente prefere visitar túmulo do que visitar um ser vivo no hospital.
Economizem com as flores no velório ou as enfiem onde quiserem, mas não economizem ATITUDE!
Atitude signica correr contra o tempo, agir enquanto é possível.
Quando chega a hora de alguém ir embora, não há nada a fazer, mas agir de maneira negligênte é um absurdo.
Para quem não conhece a palavra segue o significado:

NEGLIGÊNCIA:
sf (lat negligentia) 1 Falta de diligência; descuido, desleixo. 2 Incúria, preguiça. 3 Desatenção, menosprezo. Antôn: aplicação, cuidado.

Se o antônimo é cuidado, acho que fica bem mais fácil para qualquer pessoa compreender o que estou dizendo.

Cuidar independente do local.
Se eu sofrer algum acidente deixo aqui meu apelo para que, mesmo que me levem a um hospital público, favor solicitar imediatamente a minha transferência.
Eu prefiro morrer na rua do que em um hospital-depósito.
Se, depois, quiserem me enterrar como indigente, não tem problema, mas por favor, se você tiver minha vida nas mãos por alguns instantes, não me deixe em um local desse. Por favor! Eu imploro!

E para quem tem um ente "querido" nestas condições sub-humanas, faça algo pela pessoa em vida.
Não espere a pessoa morrer para lembrar e arrumar tempo para fazer aquela visita no cemitério.
Tempo é uma questão de preferência. Você prefere fazer compras de Natal à aproveitar o espírito natalino para visitar seu parente.
É intrigante isso.
Eu tenho certeza de que vocês irão arrumar tempo pra matar o serviço quando receberem um telefonema informando-lhes que a pessoa "querida" morreu.

Tempo é preferência. Não escolha encurtar o tempo de vida de alguém da sua própria "família".
E só pra finalizar:

"Família é um bando de gente que fala mal um do outro o ano inteiro e que se junta durante as festas ou velórios em nome dessa instituição falida". Thais Petranski

E se alguém quiser falar sobre isso, estou aqui!

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

Renovar


Esta semana decidi renovar. Fiz uma limpeza geral nos meus armários, separei muitas roupas para doar, roupas que eu mantinha em minha vida só pela posse, mas que podem ser muito úteis para outras pessoas.
Separei calçados e até brinquedos que pensei que não conseguiria doar.
Não preciso de tanta coisa na minha vida, e estes objetos serão melhor aproveitados por outras pessoas.
Quero que a energia se renove. Em cada espaço vazio das gavetas, que antes estavam tão abarrotadas, em cada cabide vazio e em cada objeto que estava apenas presente ocupando um espaço valioso da minha vida.
Estou renovando tudo, deixando espaços para serem devidamente preenchidos com coisas boas.
Esta decisão não abrange apenas meus armários, mas estou reavaliando a presença vazia até de pessoas que se dizem "presentes" em minha vida.
Pessoas que são apenas um número no orkut, ou que se dizem amigos e nem sabem da minha vida.
Não quero espaços ocupados por pessoas vazias, mas espaços que possam ser renovados.
Ter por ter. Não, eu nunca fui assim.
Se eu amo, amo e ponto final.
Se odeio, odeio, e ponto final.
Se mudo de opinião, me torno melhor.
Se falo a verdade, me sinto melhor ainda.
Quem estiver nesta "vibe" pode vir, mas quem for apenas uma presença morta de alguma lembrança perdida, bye!
Procure sua luz também.
Se liberte, assim como estou fazendo.
Sem mentiras, sem falsidade, sem hipocrisia e sem maldade.
Eu sou uma só, e posso reciclar minha vida quantas vezes quiser.
Se você é apenas um papel rabiscado na vida de Thata, não fique triste: arrumarei outra função pra você em alguma estação de reciclagem.
Afinal, tudo sempre se transforma.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

A cegueira da ilusão

Esperar retribuição é uma imbecilidade humana. Quem se importa com o que você faz?Que diferença faz na vida de alguém vc ser honesto e se mostrar amigo?
As pessoas não querem saber o que voce pensa.
E a vida é assim: estúpida quando esperamos retribuição.
Talvez eu veja magia demais nas coisas, e isso é um erro.
Será?

quinta-feira, 3 de dezembro de 2009

Quiero volver, volver, volver.


Tudo parece tão estranho: os sonhos se repetindo, as luzes da madrugada pelo quarto têm outra cor, a estranha presença.
Tudo virou de perna pro ar e agora sinto um vazio muito grande.
Às vezes sinto até o cheiro de tortillas! Mesmo sabendo que não é real, eu acredito.
Também sinto saudade do beijo que eu não dei e pra completar, sinto saudade de uma vida que eu não tive.
Não é arrependimento do não fazer, é saudade mesmo.
Mas, saudade não é sentir falta de algo que não se tem mais? Sim! Mas é o sentimento que está no meu peito.
Saudade.
Saudade de algo que eu vivi em pensamento. De algo que está acontecendo nos mundos paralelos de Thata.
Saudade de algo real: do caminho Tasqueña/ Tepoz.
Saudade daquela calma que um dia eu tive.

Ainda acordo sentindo a textura dos lençóis do "bungalow".
Sinceramente, não dá pra entender.
Apenas 21 dias em outro mundo e agora tenho que viver esse amor platônico aqui.
À espera daquele telefonema que posso não receber, daquela resposta de email que pode não ser escrita e daquela vida que pode não ser para eu viver.
Sigo, já não sei pra onde e tento descobrir o que grita mais alto. Razão ou emoção?
Façam suas apostas na "Loteria da Virada da Thata".
De tudo que há no mundo, eu tinha que me apaixonar justamente por um país?
Tudo está escrito...
Só preciso saber onde que escreveram essa parte da minha vida. Talvez eu mesmo tenha que reescrever.





Como viu?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Piensa. Piensa grande. Piensa positivamente.


Agora que a saudade de São Paulo teminou e minhas noites de sono são repletas de imagens de Tepoztlán, me pergunto: Afinal, onde é o meu lugar?

Aqui eu sei o que tenho. Não sei meu futuro, mas posso vê-lo refletido no Parque da Aclimação. Não é previsível, porém está um pouco traçado.
Ontem durante uma busca na web, me peguei cotando preço de casas. Em Tepoztlán.
Começar do zero seria uma possibilidade?
Sim. Mas com muito planejamento. Com segurança e com a documentação necessária.
Não me arriscaria em uma aventura totalmente incerta. Por isso estou pesquisando.
Planejando. Colocando na balança dois países parecidos e ao mesmo tempo tão diferentes.
Um onde eu vivi, o outro onde minha vida surgiu.
A dúvida entre a aparente segurança e a magia encantadora, porém, desconhecida.
E se eu trocasse o azul e o amarelo pelo vermelho? Ou melhor, pelo "rojo"?
Sinto que algo vai acontecer em breve. Algo vai mudar e creio que dessa mudança vira a resposta.
Posso viver sem tudo que tenho hoje? E sem magia e paz?
Não sei responder isso hoje. Não mais.
É de conhecimento público que meu coração bate mais forte quando penso em um lugar a cerca de 9 horas de distância daqui.

"Seu tesouro está onde está seu coração".

E agora?

terça-feira, 1 de dezembro de 2009

Por trás do sonho

Sono.
Imagens confusas, caos, medo, voar. Rever o que aconteceu ontem. Prever o futuro.
Despertar.
Contas à pagar, coisas para fazer, correr para não atrasar.
O que se quer de verdade?
Feche os olhos e sinta o que seu coração pede. Se deixe levar até onde está seu coração.
Ele pode estar longe, perto, mas você sempre sabe onde encontrá-lo.
E se surgir a vontade incontrolável de fazer algo inusitado, algo que ninguém acredita ser possível, faça! Não importa o que seja.
Seja forte e lute pelo que você quer.
Querer só na mente não serve. Queira com o coração. Com toda sua força.
Os sonhos só se realizam quando os queremos de coração e quando temos coragem para seguir sem medo.
Sem coragem, os sonhos sempre serão sonhos.
E viver, nada mais é do que realizar.