Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

terça-feira, 15 de setembro de 2009

A escória humana

É incrível a facilidade que algumas pessoas consideradas "normais" têm em usar a boa vontade alheia.
Sim, usar.
Quando alguém me oferece ajuda eu entendo que esta pessoa está realmente tentando ajudar. Eu acredito que não seja uma encenação. Mas o que pensar de uma pessoa que finge ser um persongem descaradamente na vida real?
Mas é muita ingenuidade (ou burrice) da minha parte acreditar em pessoas que se mostram bondosas demais.
Eu acredito que os seres humanos são ruins por natureza, e têm apenas alguns momentos de bondade. Sim, isso cabe a mim também, porém, me conheço e afirmo que tento ser melhor.
Não finjo ser alguém que não sou para obter informações ou para manipular as pessoas.
Mas os demônios passam muito pelo eu caminho. Alguns aparecem de muito longe, de além mar.
Mas não pense que eu aceito esse teatro todo de mentiras.
Você, seu teatro, suas comparsas e suas loucuras, quero todos no inferno da realidade estúpida que não conseguem encarar.
Sua interesseiras, não irão destruir a realidade de um sonho em paz que levou uma vida inteira para ser realizado.
"O medo não existe, somos nós quem o inventamos. Eu não tenho medo de nada nem ninguém" muito menos das mentiras criadas em um teatro maldito de uma mente doente como a de vocês.
Tenham vergonha na cara e a deixem em paz!!!












------------------------------



"Raça de víboras! Como podeis vós falar coisas boas, sendo maus? Pois do que há em abundância no coração, disso fala a boca.”- Mateus 12:34



------------------------------









'

Nenhum comentário:

Postar um comentário