Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

sábado, 26 de setembro de 2009

De volta ao meu mundo


O dom que sempre gritou e que eu sempre tentei calar.
A única certeza que eu tinha na vida, mas por achar "infantil" demais, a deixei de lado.
A substituí sempre, criando formas, texturas, escrevendo. Mas a essência nunca muda.
Talvez, algumas atitudes, alguns olhares, mas assumir o que se quer é tão difícil.
Como fugir e ignorar o tempo todo sem parar de respirar?
Foram muitos anos até eu aceitar que o desenho não tem idade. Deus colocou tantos sinais no meu percurso, e eu tão cega, não vi.
Maurício, Schulz, Gil.
Arte por todos os lados, e eu só dançava por entre as cores, sem assumí-las ou conduzí-las.
O Grande Despertar foi em Pernambuco, totalmente fora da minha realidade, mergulhada nos sonhos que pareciam mais distantes, pensando em um presente original a alguém muito especial.
Quando eu poderia imaginar que quem ganharia o presente seria eu mesma?
As idéias são tão claras e simples. E a transformamos em um sonho lindo.
Minha sorte sempre foi estar cercada por anjos. Desta vez não foi diferente.
E hoje, o mais presente é meu grande inspirador: Gui.
Agradeço a Deus por aquelas 48 horas de busca que me levaram a você. E que de maneira indireta, trouxeram de volta a verdadeira Thais Petranski.
Tudo se completa agora, quando tenho meu próprio mundo nas mãos outra vez.
O mundo de Thata.
Tudo sempre retorna à origem.
......................................................................
Os ventos que as vezes tiram algo que amamos, são os mesmo que nos trazem algo que aprendemos a amar.. Por isso não devemos chorar pelo que nos foi tirado e sim, aprender a amar o que nos foi dado.. Pois tudo aquilo que é realmente nosso, nunca se vai para sempre.
......................................................................

Nenhum comentário:

Postar um comentário