Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

domingo, 13 de março de 2011

Razão, emoção e um sonho de toda uma vida.


Quando finalmente a certeza de uma carreira aparece (emoção/sonho) o dinheiro não é suficiente para investir (razão).
A relação entre razão e emoção é curiosa. Uma não depende da outra para existir, mas para que algo se realize, as duas devem estar juntas e no mesmo nível de intensidade.
Querer é poder desde que haja um empurrãozinho para acontecer (no meu caso o empurrãozinho é financeiro).

Finalmente, decidi fazer um curso de Artes Plásticas. O que sempre quis fazer. O que eu sempre soube que é o que mais se parece comigo, e justamente agora que emoção veio à tona novamente e assumi esse meu lado artista, que não posso mais esconder, tenho que colocar a razão na frente de tudo isso, porque neste exato momento, não posso investir um dinheiro que ainda não existe.

Vai existir, com certeza, mas não o tenho agora, e é só isso que me impede de realizar um grande sonho da minha vida, o sonho que me acompanha desde a infância: ser artista formada.

Agora, a única coisa que posso fazer é obter meios para realizar esse grande desejo, porque meu dia de brilhar chegará, tenho certeza.
:)

Nenhum comentário:

Postar um comentário