Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

domingo, 1 de abril de 2012

Quero ser Marilyn Monroe

Hoje foi o último dia da exposição de fotos "Quero ser Marilyn Monroe", na Cinemateca.
Não dava pra esperar mais e sozinha caminhei pelas ruas desde a Vila Mariana, tudo muito calmamente como um tarde de domingo pede para ser. Até passei pela praça onde semanas antes sonhei com cães voadores, mas isso é outro assunto.

Adorei o lugar e as fotos. As frases e mistérios também.
O curioso, é que nunca vi graça nenhuma em Marilyn. E de um tempo pra cá ela virou uma outra inspiração. Foi justamente quando a saudade dos meus ex longos cabelos até a cintura voltaram e decidi me acalmar convivendo com meus cabelos curtos de uma maneira bonita. Busquei inúmeras fotos de penteados e cortes, mas nada me agradava, quando de repente, eis que surge ela: a mulher mais sexy de todos os tempos, com seus cabelos curtos e ondulados, com o olhar pequeno e bem delineado. Aí sim entendi que para marcar presença ninguém precisa de cabelos longos e lisos. Abaixo à progressiva e chapinhas! Viva o ondulado!
Com certeza ela será o tema de mais posts por aqui, e aos poucos divulgo as fotos que tirei na Cinemateca.

Sim, quero ser Marilyn Monroe.
E quem não quer?

Nenhum comentário:

Postar um comentário