Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Porque lá deixei minha alma estacionada

Publicada em julho de 2012


Deus lhe empresta a vida, mas ainda tem vários planos. “Já tenho vontade de descansar eternamente, a única coisa que me resta é voltar a Madrid, porque lá deixei minha alma estacionada. Tenho que voltar a buscá-la e com certeza voltarei. Não sei quando exatamente, mas tenho que reencontrar-me com meus velhos amigos!.
Há alguns dias, Chavela Vargas voltou da Espanha, realizou outro sonho, o de estar com seus amigos na terra que tanto ama.
Ontem, soube que ela voltou a ser hospitalizada. Não está bem e os médicos dizem que “a senhora Vargas está demonstrando a todo momento a força e a capacidade de lutar que a caracteriza”. Segue lúcida.
Hoje foi um longo dia para mim, meus pensamentos todos estão com ela agora, rezei por sua felicidade e me sinto estranha.
Creio que ela esteja falando com a morte agora, cantando para ela e é só sua a decisão de ficar conosco ou ir.
Tudo podemos esperar de Chavela, só aguardamos sua decisão final.
Te amo muitíssimo.
Viva Chavela Vargas! Queira o que queira.

Thais Petranski


Nenhum comentário:

Postar um comentário