Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Ser de luz, assim é Chavela Vargas. Esteja onde estiver.

Publicada em 08/08/2012



Hoje,  oito de agosto de 2012, é a primeira quarta feira sem a presença física de Chavela Vargas. Oficialmente, este é o primeiro texto que escrevo desde o último domingo.
O que posso dizer é que ela é um exemplo de força e determinação. Fez tudo o que sempre quis até o fim de sua vida. Quem é que depois de 90 anos ainda tem ânimo para gravar 2 cds, subir ao palco e ainda encarar uma viagem do México à Espanha?
Chavela Vargas entrou em minha vida em uma noite de sábado, quando fui golpeada por sua incrível voz. Após os momentos iniciais ao impacto, minha visão mudou e passei a ver caminhos que antes não existiam.
Interessei-me por tudo o que rodeava aquela tal cantora cujo documentário era dedicado. México, mariachis, a comemoração do dia dos mortos, Frida Kahlo e tantas outras coisas que hoje fazem parte de mim. Na verdade, encontrei o que faltava.
Tive algumas oportunidades de estar ao seu lado, em sua casa em Tepoztlán. A primeira vez, a esperei sair de sua vida simples, sem posses e solitária para que estivesse em seu jardim. Nesse dia, senti o campo de energia que emanava daquela senhora, tão forte que não consegui  aproximar-me mais. Não é exagero meu, todos os que puderam estar perto dela confirmam isso.
Para ela decidi escrever uma carta, que virou um livro chamado: Siga o seu coração: busque Chavela Vargas! e a presenteei com minha inspiração, um ciclo de perfeita harmonia.
Meu maior presente, foi vê-la lendo minhas palavras.
Nunca havia pensando em escrever um livro e para ela escrevi logo dois! Sim, há a versão ilustrada do livro em questão.
Me declarei a ela diversas vezes e levarei seu nome aonde quer que eu esteja. E isso ela já sabia.
Como ela mesma disse, ela não morreu, transcendeu e foi o que aconteceu.
Domingo senti sua partida, confirmada poucas horas depois e percebo que sempre existirá essa forte ligação. Mesmo não estando fisicamente presente, aqui ela está. Aqui, no México, na Espanha e em todos os lugares onde houver um coração que precise de conforto, a última Xamana continuará curando os males de amor. Lindas homenagens foram feitas e daqui de longe observei tudo muito emocionada. Ela merece todo o reconhecimento do universo! Sim, ela está em um nível acima dos humanos comuns, como eu e você.
Chavela Vargas: uma mulher absurdamente forte, decidida, simples e iluminada que eu tive a imensa honra em conhecer.
Viva sempre Chavela Vargas!
Te amo!

Thais Petranski


Nenhum comentário:

Postar um comentário