Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

segunda-feira, 15 de março de 2010

Diário de uma pessoa inteligente excluída do mundo digital


Mais um dia estúpido cumprindo horário. As horas demoram a passar porque praticamente todos os sites que me aproximavam das novidades e de novas idéias estão bloqueados. Não tenho acesso nem aos meus blogs, mas isso não me impede de seguir escrevendo e postando da minha casa tudo que penso.
Se você está se perguntando: - Mas porque ela quer navegar tanto no trabalho? - eu respondo!
Já não tenho função alguma para desenvolver, estou na famosa "geladeira" porque não sabem o que fazer comigo (demissão não seria a atitude mais profissional??? Óbvio que sim!). Já não tenho ânimo nem pra sair da minha cama de manhã (sim, depressão!) afinal, sei que passarei horas improdutivas e banais. Não quero receber um salário para não fazer nada. Não sou esse tipo de profissional, e também não investi meu dinheiro com uma pós graduação para ficar engessada.
Dia 15, o meio do mês. Uma péssima data para fechar "minhas contas".
Para piorar, muitas pessoas estão se sentindo afrontadas com o meu retorno forçado ao famigerado call center. Mentes pequenas não conseguem entender que não sou ameaça alguma, estamos na mesma situação desagradável. Virar a cara, fazer piadinha, falar babozeiras, está é o singelo tratamento que estou recebendo por estes grandes profissionais.
O que quero para minha vida é muito mais que toda essa palhaçada na qual me vejo momentâneamente. E é exatamente por isso que garanto: Não sou ameaça à vocês! Se há uma única coisa boa em todo esse desespero no qual me encontro, é conseguir encontrar a certeza do que quero para mim.
E quanto à exclusão digital que passo neste momento, reafirmo: Enquanto houver papel e caneta, seguirei repassando minhas intermináveis idéias, relatando o que eu bem entender e dizendo à todos que a vida é muito mais do que os metros que temos diante de nossos olhos.
A minha vida é.

Agora vou pegar meu celular e enviar um post no Twitter. Nada como a tecnologia, não é? Bloquear meu celular eles não conseguem! Hahaha
A inteligência sempre vence no final. Sempre.
Fui!

Nenhum comentário:

Postar um comentário