Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

segunda-feira, 4 de março de 2013

A vida pode ser mais bela depois de duas doses de tequila


Publicada em 05/09/2012

Dia mais complicado e louco foi o que hoje, tudo junto acontecendo no mesmo instante. Mas ainda é dia 05.
Um mês que “trancendió a Chavela Vargas”. Um mês.
Dia louco, mês estranho, 2012 marcante e eu aqui esperando respostas.
Fazendo mais perguntas, selecionando tudo cada vez mais. Gosto de frases cortadas e palavras cheias. Verdadeiras. Palavras ditas e feitas. E de pessoas que honrem o que dizem.
No meio da confusão deste dia, até que consegui reverter (um pouco) a pressão falando de tequila com o Creck Picadinho e no auge da minha sabedoria aconselhei com um desabafo: “Todos os problemas são resolvidos com duas doses de tequila”. Ele até que concordou! Naquele momento, determinei o que faria quando chegasse em casa.
Acabando tarde e precisando transcender (de alguma maneira que um mortal comum consiga realizar). Sexo? Drogas? Rock n`roll (ou rancheira)??? Não! TEQUILA!!!
Aqui estou, escrevendo com duas doses de tequila na cabeça que desceram leves, leves, mesmo com o amargo do limão. Tudo fica tão lindo e engraçado quando se tem uma garrafa cheia em casa. O segredo da beleza é o nº 2. Só duas doses. Três já iniciam outros problemas. E agora este dia 5 parece tão alegre e calmo, que posso ouvir qualquer tipo de resposta sem me abater.
E por falar em respostas, alguém tem alguma pergunta?
(ai, cocei os olhos com os dedos de limão e sal). Joooder. Viva México cabrones!

Thais Petranski


Nenhum comentário:

Postar um comentário