Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

terça-feira, 26 de outubro de 2010

¿? - ¡ JODER! - a missão

Definitivamente: existem coisas que só algumas doses de tequila e um cigarro resolvem. Que dia esquizofrênico!
Sem tesão pra viajar (isso é grave), sem paciência de estar no metrô e tentando não surtar.
Esta cidade está impraticável. Invivível. E impossível!
Estou bêbada de tequila, fumei uma porcaria de cigarro e agora tudo está um pouco melhor.
Quer ir ao México comigo? Seria tãaaaaao divertido....já não quero ir sozinha!

Quero outro destino! Outra cidade!
Socorro! Preciso viver! Ou não!!!

2 comentários: