Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

terça-feira, 9 de junho de 2009

09/06/2009 Um dia muito importante na minha vida.




Hoje mais um ciclo chegou ao fim.
A apresentação do meu trabalho de conclusão do curso de Gestão do Conhecimento.
Uma ação que teve início há um ano e meio. Muito investimento para o meu padrão de vida, mas algo que eu precisava fazer. Aprendi e cresci muito.
Muita expectativa, e o desenvolvimento de um novo olhar, muito mais amplo.
Para ter a visão sistêmica que tanto defendemos eu tive que olhar pra dentro. Para cada atitude, cada palavra, cada gesto, cada olhar meu.
Hoje posso dizer que construí uma Thais muito especial nestes últimos 16 meses.
Cada tombo que levei foi importante, mesmo que na hora eu não tenha percebido.
Mesmo quando em momentos de ira eu perdi o controle.
Fazendo um retrospecto destes últimos meses, notei que cada pessoa que passou pela minha vida teve um significado especial e de alguma forma cresci com cada uma delas.
Não acredito que as pessoas permanecem na nossa vida até que nós aprendamos algo com elas. Eu acredito que além do aprendizado é preciso haver um bem estar, uma alegria em estar junto e isso não podemos descartar.
Hoje eu provei a mim mesma que sou mais capaz do que pude imaginar.
A fusão de duas teorias para criar uma terceira. Uma criação ousada e a coragem para apresentá-la. Era a glória ou o abismo.
Um trabalho memorável que foi construído em grupo. A glória.
Estou recriando minha vida.
Talvez não tenha ainda a vida que sonhei, mas me sinto realizada e com esse entusiasmo buscarei muito mais.
Não podemos mudar nossa missão na Terra. E depois de tantos anos consigo lembrar do que eu queria fazer da minha vida quando eu tinha 2 anos.
A Thais que todos vêem é só uma pequena parte da Thais que eu sou. E a Thais que vejo hoje tem o espírito da Tháta, a menininha "magrela" e cheia de sardas que queria desenhar. Desenhar como Maurício de Souza. Depois como Charles Schulz.
Talvez eu não desenhe da maneira que sonhei quando pequena, mas faço isso diariamente com minha vida, a cada passo que dou.
Algumas pessoas fizeram parte de alguns quadrinhos que desenhei e creio que eu tenha colorido a vida de alguma delas.
Essa é a marca que quero deixar nas pessoas.
Não quero os desenhos inacabados e sem cor.
Quero as canetinhas coloridas, as aquarelas.
E quero poder levar cor e luz para todos que passarem pela minha vida.
No mundo, deixarei cada sorriso puro que puderem ver.
E levarei comigo cada pedacinho de alegria que viví, os olhares que ví, os sorrisos que ganhei.
É tom de despedida, porque é o fim de um ciclo, mas o começo de um novo.
Sei que sempre poderei contar com a criatividade e a vontade de realizar da Tháta.
Vejo que eu nunca deveria ter me sentido sozinha.
Porque ela sempre esteve comigo.

Um comentário:

  1. comentando sobre os slides!

    adorei tbm! mas tem duas fotos em especial...

    primeiro o tutti no meio do presépio! ahahahahah

    e a segunda.. a foto do seu quarto...tenho q confessar uma coisa...
    me inspirei no seu quarto para montar o meu.. na verdade vi no seu todas as coisas q te identificavam, até a bagunça é identificável..
    e qdo pude ter um quarto soh meu, fiz a minha bagunça.. q eh mt legal! ahahahaha cores!

    ResponderExcluir