Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

domingo, 21 de junho de 2009

E o inverno chegou...


Muitos cobertores, chazinho, preguiça de sair da cama.
E neste mês ainda podemos desfrutar de vinho quente, quentão, canjica...hummmm
Talvez o início do inverno seja bom única e exclusivamente por causa das festas juninas.
Uma alegria em meio ao frio.
É tempo de estar juntinho. Tomar vinho, comer fondue (dá tanta fome o inverno).
Mesmo não gostando do frio, tentarei manter minha rotina.
Seja bem vindo, mas passe bem rápido.
Afinal, sou mais feliz no calor!

Nenhum comentário:

Postar um comentário