Pablo Neruda

"Isso é tudo. Ao longe alguém canta. Ao longe. A minha alma não se contenta com havê-la perdido. Como para chegá-la a mim o meu olhar procura-a. O meu coração procura-a, ela não está comigo.
A mesma noite que faz branquejar as mesmas árvores. Nós dois, os de então, já não somos os mesmos. Já não a amo, é verdade, mas tanto que a amei. Esta voz buscava o vento para tocar-lhe o ouvido. De outro. Será de outro. Como antes dos meus beijos. A voz, o corpo claro. Os seus olhos infinitos. Já não a amo, é verdade, mas talvez a ame ainda. É tão curto o amor, tão longo o esquecimento. Porque em noites como esta tive-a em meus braços,a minha alma não se contenta por havê-la perdido. Embora seja a última dor que ela me causa,e estes sejam os últimos versos que lhe escrevo."

terça-feira, 28 de julho de 2009

Procura-se

Eu não sei o que acontece comigo.
Há meses tento descobrir onde mora Chavela Vargas. Em vão. Não encontro rastro dela.Há dois meses estava na Cidade do México. E hoje? Onde está?
Em dezembro de 2007 se despediu dos palcos no Auditório Nacional. E apenas 11 meses depois eu estive lá.
Em 21 de abril último, estava no Teatro de Bellas Artes.
Ela já esteve aqui em casa é verdade, falou comigo, mas acordei antes mesmo de poder dizer uma única palavra.
Tanto que a procuro.
Todos os dias, em todos os lugares.
Quem souber, for favor me avise.
Preciso lhe falar.


(Amo. Cada dia, mais e mais.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário